10/31/2005

Empresas da região equipam fabricantes mundiais de calçado

A CEI - Companhia de Equipamentos Industriais, Lda., com sede em S. João da Madeira, tornou-se fornecedora habitual de sistemas de corte de couro por jacto de água à Pou Chen, uma multinacional com sede em Taiwan que é só o maior fabricante mundial de calçado.
Segundo a Associação Portuguesa dos Industriais do Calçado (APICCAPS), a empresa asiática é apenas uma das muitas ligadas ao sector que, nos últimos anos, renderam-se “à qualidade dos bens de equipamento nacionais”.
São os frutos dos programas Fábrica de Alta Tecnologia (FATEC) e Fábrica de Calçado do Futuro (FACAP) que permitiram dar um grande salto em termos de inovação e desenvolvimento tecnológico. “Foram elementos catalisadores de um processo de mudança que permitiu que um sector catalogado de tradicional se projectasse pela utilização de tecnologias de ponta”, refere a APICCAPS (ler mais).

8/31/2005

O rei dos telemóveis

Vendeu o primeiro telemóvel há dez anos “quase por brincadeira”. Era um Motorola 1000 analogico “transportável” que custava 600 contos. O que começou por ser “uma brincadeira”, acabaria por tornar-se, entretanto, num grande negócio para Carlos Aguiar, 31 anos, administrador de empresas líderes na comercialização e distribuição de equipamentos de comunicações e acessórios (Aveicellular, Via Celular, Via Celular II, Aveidigital) que já facturam cerca de 50 milhões de euros por ano.
80 por cento das vendas são enviadas para o estrangeiro a partir do fervilhante centro logístico de Albergaria-A-Velha “para qualquer ponto da Europa em 24 horas”.
O grupo dá trabalho a 16 pessoas. Em meados de 2006, estarão prontas as novas instalações (armazém e escritórios) que representam um investimento de 350 mil eutros.
Carlos Aguiar deixou a escola no oitavo ano e trabalhou com o pai na metalomecânica antes de ligar-se aos telemóveis sem imaginar, na altura, o potencial do negócio (ler mais).

8/22/2005

Aprovado financiamento para lançar Centro Empresarial e Tecnológico

O Governo decidiu atribuir um financiamento de 1,1 milhões de euros para a primeira fase da criação do Centro Empresarial e Tecnológico de S. João da Madeira, segundo avançou a autarquia local.
No despacho de homologação assinado pelo secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, Rui Baleiras, o projecto é assumido como “uma alavanca” para o desenvolvimento da cidade.
Orçado em 1,9 milhões de euros, o Centro Empresarial e Tecnológico será comparticipado pelo FEDER.
Segundo uma nota do município sanjoanense, o financiamento atribuído destina-se à construção de infra-estruturas e do edifício-sede que terá uma área coberta de 1800 metros quadrados. Nos quatro pisos estão previstos espaços para serviços administrativos, núcleo de formação e uma incubadora de empresas (ler mais).

7/20/2005

Campolargo investe 4 milhões de euros em nova adega no coração da Bairrada

A Campolargo, a maior proprietária de vinhas na região da Bairrada, espera concluir, até Setembro, sua nova adega erguida na Quinta de S. Mateus, em S. Lourenço do Bairro, concelho de Anadia, que permitirá reforçar a produção de vinho, sobretudo, para a exportação onde tem maiores expectativas de crescimento.
O investimento da empresa com sede em Mogofores deve atingir, no final da construção e equipamento, 4 milhões de euros. Além da unidade de vinificação (2400 metros quadrados cobertos) as futuras instalações contemplam ao longo dos seus 5000 metros quadrados de área ainda serviços para enoturismo.
Segundo Carlos Campolargo, da terceira geração familiar, a nova adega “tem capacidade para produzir, de imediato, 200 mil litros de vinho anuais, embora seja de fácil ampliação” (ler artigo).

7/11/2005

Grohe Portugal aumenta produção com desinvestimento na Alemanha

A multinacional alemã Grohe decidiu transferir já no próximo ano para Albergaria-A-Velha parte da produção de torneiras que sai actualmente de duas unidades na Alemanha.
Esta decisão da empresa implicará o despedimento de cerca de 1500 pessoas nas fábricas germânicas, o que equivale a cerca de um quarto da força de trabalho doméstica.
A escolha da unidade de Albergaria-A-Velha é justificada pelos custos de produção mais baixos.
Na sequência desta decisão estima-se que a subsidiária portuguesa veja aumentar a sua capacidade produtiva em mais 1,5 milhões de unidades, passando para um total de seis milhões. E a tendência é para aumentar nos anos seguintes (ler artigo do Notícias de Aveiro).

7/07/2005

Conservatória

Só de pensar que tenho de ir à Conservatória do Registo Comercial e Predial de Aveiro buscar uma simples certidão arrepio-me todo com esta triste experiência.

7/05/2005

Metalomecânica A. Silva Matos reforça ligação ao sector energético

O grupo metalomecânico A.Silva Matos, com sede em Sever do Vouga, decidiu após uma reflexão interna reforçar a estratégia de desenvolvimento assente em novas áreas de negócios relacionadas com o sector energético.
A abertura de uma unidade vocacionada para a construção de torres eólicas, já em laboração com oito trabalhadores, e o lançamento de projectos de investigação para criar equipamentos de produção de hidrogénio são as mais recentes apostas. O investimento total ronda 7,5 milhões de euros.
O grupo especializado na construção de tanques de gás e reservatórios para combustíveis líquidos é formado pelas empresas A.Silva Matos Metalomecânica S.A., Citergaz e tem ainda uma participação na Petrotank Maroc, em Marrocos, entre outras actividades. No total, facturou cerca de 20,1 milhões de euros em 2004, o que corresponde a mais 8 por cento do que no ano anterior (ler mais).